segunda-feira, 27 de junho de 2016

Como fazer para se salvar, segundo as Escrituras.



A Salvação na Eternidade de Deus é tudo. O resto é resto passageiro!  Mas como fazer para se salvar?



Eu, Waldecy Antonio Simões, internauta ativo na propagação da Palavra de Deus, pertenço a uma das 398 congregações pelo mundo que santificam o sábado como o Dia do Senhor, portanto somos os remanescentes que não aceitaram a subserviência aos papas romanos de tantos erros, servos de Satanás. Siga o Link:


http://gospel-semeadores-da.forumeiros.com/t12521-todas-as-igrejas-que-guardam-o-sabado. 

“Ainda que o número dos filhos de Israel seja como a areia do mar, o remanescente é que será salvo”. Romanos 9:27



Antes de Jesus na Terra, pela antiga tradição israelita, os ricos eram considerados os abençoados por Deus, exatamente porque julgavam que se o Senhor cumulou-os de bens, assim como a Abraão e Salomão, então eram abençoados. Por outro lado, viam os pobres, principalmente os miseráveis, chamados de ralé, como os rejeitados por Deus, exatamente porque não foram abençoados com riquezas.

Mas quando Jesus veio, em sua primeira pregação à Humanidade, e nessa pregação denominada Sermão do Monte, que pode ser considerada um Resumo do Evangelho, ele se preocupou em revelar a Verdade, mostrando que Deus Pai tinha e tem preferência pelos pobres, pelos humildes de coração. Vamos reproduzir, aqui, as Palavras de Jesus a respeito dessa revelação:

Mateus, capítulo 5:


“E Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos;

E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo:

Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;

Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;

Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;

Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;

Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia
;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;

Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;

Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;

Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.

Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós”   Jesus Cristo em Mateus 5:1-12

Sempre digo que a Verdadeira Igreja de Jesus é formada pelos que se enquadram nessas santas bem-aventuranças, pois o Senhor Deus nunca buscará os seus apenas pelo nome de uma igreja, mas pelos corações dos justos, estejam eles onde estiverem: nas cidades, no campo, nas cavernas, nas florestas, nas geleiras, no pequeno e no majestoso templo e em outros lugares não citados.

Vamos ver agora como poderemos nos salvar. Por muita Graça, Graças a Deus Pai, Jesus, pessoalmente, nos ensinou as duas principais condições para conseguirmos nos salvar, pois ao ensinar o Caminho do Reino de Deus a um Jovem muito Rico, foi também a nós que dirigiu a Grande Revelação.

Eu disse as duas principais condições, essas absolutamente imprescindíveis, pois há outras condições de menor peso, mas que no conjunto levam a um prêmio absolutamente inefável, pois diz da Eternidade de sonhos no Reino de Deus.

Era uma vez, na época de Jesus na Terra,  um jovem da tradição israelita, um judeu muito rico. Tinha muitas propriedades, castelos, enfim, era um abastado. Conta o Evangelho que esse jovem, por ser um fiel da tradição da Torah (dos cinco livros Pentateucos), e que guardava Todos os dez mandamento de Deus Pai e, por isso  julgava-se  salvo na Eternidade. E assim vivia tranquilamente a sua riqueza e a sua fé.

Mas um dia, ao circular pela cidade, viu o Jesus tão falado e, curioso, ouviu uma de suas pregações. Como Jesus era extremamente carismático, pois as pessoas que o ouviam até prendiam a respiração de emoção, aquele Jovem Rico passou a ter dúvidas sobre sua própria salvação na Eternidade, por isso, quando se apresentou uma chance vencendo a multidão que sempre o cercava, aproximou-se do Mestre e lhe perguntou: 

-- "Mestre, o que faço para me salvar"?

Neste ponto, Jesus começou a mostrar o Caminho da Salvação no Reino de Deus a ele e por tabela a toda Humanidade:

--"Tu sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; não defraudarás alguém; honra a teu pai e a tua mãe".  Jesus citou apenas alguns dos mandamentos para mostrar que realmente falava das 10 leis do Monte Sinai. 

Portanto, Jesus Cristo aponta como a primeira condição para a Eternidade a Portanto, Jesus Cristo aponta como a primeira condição para a Eternidade a Obediência Irrestrita ao Senhor Deus, sendo que a obediência fundamenta-se na observação criteriosa de todas as 10 leis cravadas por ele mesmo nas Rochas Sagradas das leis.


(Lembremo.nos de que foi pela Desobediência reiterada e constante às leis do Senhor Deus que ele varreu da face da Terra 11 das doze tribos de Israel, e só não excluiu todas para que se cumprissem as profecias que revelavam o Messias nascer de Israel)

O jovem rico, um tanto animado pela resposta, retrucou:

-- "Senhor, eu já os guardo desde a minha infância".

Jesus olhou-o com amor e lhe respondeu, sabendo que o jovem não iria gostar da segunda condição para a Salvação na Eternidade:

-- "Então te falta uma coisa: Vai, vende tudo o que você tem e distribua-os aos necessitados".

Jesus revelou a Segunda condição para a Salvação: O amor irrestrito pelos semelhantes,  a ponto de servi-los em suas necessidades básicas, de acordo com as  posses dele.

Então o jovem rico foi embora muito triste, pois não pretendia perder sua fortuna. Por isso a salvação é quase impossível para os ricos, pois preferem o que podem ver, tocar, e é bem difícil para eles trocar tudo isso por uma Promessa, nem que seja absolutamente Grandiosa. E no caso do Jovem Rico, ele teve uma chance de Salvação Descomunal, pois à sua frente estava presente, falando a ele o Filho de Deus Vivo, o Enviado de Deus à Humanidade! Mas não soube se aproveitar dessa grandiosidade!

 A maior das fontes dos maiores males do mundo vem do amor ao dinheiro, prestígio e poder.

 Porque a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro.   Timóteo,   6.9.

“Ai de vos, que ajuntais casa a casa, que acrescentais  campo a campo, até que não haja mais lugar, e que sejais os únicos proprietários da terra”. Advertência  do  Senhor,  em  Isaías,   5.8.

Se a riqueza, a abastança terrestre é nociva, então porque o Senhor enriquece os ricos?

O Senhor nada faz para enriquecer o homem com coisas materiais. Vejamos quem o faz:

“Dar-te-ei todo este poder e glória desses reinos, porque me foram dados, e dou-os a quem quero”.  

Satanás, tentando Jesus com riquezas materiais em profusão, em Lucas 4:6,  o que nos revela que é o próprio Satanás quem distribui riquezas e gerencia os ricos, quase todos.Pois Jesus afirmou que é QUASE impossível a um rico se salvar.

Portanto, é a Palavra de Deus Escrita que revela ser Satanás quem abarrota os cofres dos ricos, e enriquece quem ele quiser.  Pela Nova Mensagem, o Senhor Deus não pode enriquecer ninguém, pois diferente disso, ele seria um incoerente, depois de do Senhor Deus ter regido que é quase impossível a um rico se salvar.  Então, entende-se perfeitamente que quem enriquece não teve a ajuda do Deus e Senhor, mas o próprio Satanás!

Não me refiro à prosperidade SUFICIENTE prometida aos justos, principalmente aos que recolhem os dízimos, mas à abastança, ou seja, ao acúmulo de riquezas nas mãos de poucos, impedindo a redistribuição de rendas, para acabar com a fome aguda e mortal dos rincões de miséria.  Jesus bem explicou isso:

  “Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará os seus próprios cuidados...”.  Jesus, em mateus, 6.34.

 “Ouvi isto, vós que engolis o pobre e fazeis perecer os humildes da terra: não esquecerei jamais os vossos atos; converterei vossas festas em luto e vossos cantos em elegias fúnebres”.!  Amós, 8.10


  “Portanto, não vos inquieteis com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará os seus próprios cuidados...”.  Jesus, em Mateus, 6.34.

 “Ouvi isto, vós que engolis o pobre e fazeis perecer os humildes da terra: Não esquecerei jamais os vossos atos; converterei vossas festas em luto e vossos cantos em elegias fúnebres”.!  Amós, 8.10

 A riqueza é uma condição confortável, mas que afasta o homem de Deus, exceto raras exceções.  Ao rico, perante os Céus, segundo as Escrituras, não adianta fazer caridade com os excedentes do dinheiro, é necessário, segundo Marcos, 10.21, para merecer um lugar no Reino de Deus  desfazer-se de toda a riqueza, ficando somente com o suficiente para manter uma vida digna, e distribuir aos sem comida toda a sua fortuna. É difícil? Sim, é quase impossível, mas é exatamente por ser muitíssimo difícil o rico desligar-se de seu ídolo dinheiro, que Jesus revelou:

Veja a sabedoria de Jesus:  Como Está Escrito em Tiago 4:14 que nossa vida é tão breve, que perante a Eternidade é como um vapor d'água que sai da chaleira fervente e logo se dissipa, havia dois problemas com o Jovem Rico para que ele se salvasse da Eternidade:

1) Desligar-se de sua riqueza, pois não é possível servir a Deus e ao dinheiro.

2)  Realizar uma extensa obra de caridade por amor aos semelhantes, o mesmo amor de 1 Coríntios 13:13 onde Deus nos revela que esse Amor vale mais que a fé!

Primeiramente, justamente porque seria quase impossível a sua Salvação, pois logo que o jovem rico se retirou, Jesus revelou aos seus amigos que é quase impossível a um rico se salvar.  Mas por que, Senhor Jesus?  Porque o Senhor Deus na Criação, nos brindou com um mundo maravilhoso, com terras suficientes para que todos tivessem uma parte.

Por isso, Jesus completou ao  Jovem Rico:  “Tome a tua cruz e me siga”, o Caminho para o Reino de Deus exige as tribulações normais da vida.


Digamos que a Terra seja comparada com um grande bolo.  Mas os senhores do mundo, pela força do poder, se apropriaram das maiores fatias do bolo, e as menores que sobraram, tiveram de ser divididas por todos do mundo e é logico que multidões ficaram sem nada: os miseráveis necessitados, os da fome aguda e da fome mortal, ficaram sem nada, como acontece hoje em muitos países paupérrimos.

Li em um jornal sério, que se os ricos do mundo doassem anualmente apenas um por cento para os necessitados, não tiraria os miseráveis da pobreza, mas pelo menos ninguém mais morreria de fome.

Jesus disse ao jovem rico para que ele se desfizesse do peso do ouro e os trocasse por um tesouro muito mais impostante no Céu, pois lá as traças não corroem o dinheiro, nem a ferrugem, nem as guerras ou conflitos, e ainda há a ressalva importante que Deus ama quando somos dependente dele, quando nos mostramos que necessitamos dele, da mesma maneira que um pai e uma mãe veem seus filhos.

Mas os muito ricos não se preocupam com Deus Pai, pois já têm tudo e assim, vêem Deus apena como um ser literário. Como antigo corretor de imóveis de alto 
padrão, como na Esquema Imóveis, em São Paulo,  entrei em muitas mansões de pessoas ricas, abastadas, e quase sempre vislumbrei, nos living's uma bela estante com uma Bíblia bem grande e colorida, mormente aberta num dos salmos de Vitória, mas só isso e só isso é nada em termos de salvação. Detalhes em meu blog:


  http://riquezapoderegloriasegundoabiblia.blogspot.com.br/

Agora, voltando ao ensino de Jesus ao jovem rico, Cristo mostrou que o Caminho do Reino de Deus tem de passar por DUAS CONDIÇÕES SINEQUANON:

OBEDIÊNCIA E AMOR.

Vamos à obediência

Para que se salvasse, o jovem rico  (também  eu e você) tinha por obrigação guardar as 10 leis de Deus e Senhor, promulgadas e propagadas no incrível evento Monte Sinai, também legitimadas todas eles até em cada caractere, pelo Filho, em Mateus 5:17 até 28.

http://oincriveleventomontesinai.blogspot.com.br/    

Vamos ao amor.

Jesus revelou ao Jovem Rico (e a nós outros) que somente obedecer a Deus na guarda de seus mandamentos não é suficiente para que ele se salvasse. Era e é necessário um complemento muito importante: O amor ao semelhante, a ponto de servi-lo em suas necessidades básicas. Para isso, ele teria de desligar-se de sua fortuna, pois só assim estaria honrando ao verdadeiro Senhor, e aproveitar para realizar uma maravilhosa obra de amor pelo semelhante mais necessitado, dividindo com eles a sua fortuna. Não Está Escrito, mas eu entendo que o jovem rico poderia ficar apenas com uma parte para que vivesse dignamente, sem luxos e sem exageros.

Mas o Jovem Rico fugiu do Amor, e consequentemente da Salvação na Eternidade.  Ele deu mais valor aos seus bens que lhe proporcionariam prazer e poder, que para a Eternidade.  O tempo de nossa vida pode ser comparado a uma simples gotinha de água no Oceano, esse representando a Eternidade. 

O tempo de vida do Jovem Rico foi tão insignificante que já faz dois mil anos que faleceu e, segundo Jesus, que disse que é quase impossível a um rico se salvar, infelizmente ele está excluído do Reino de Deus e saberá sobre isso quando acordar do sono de todos nós, no Grande Dia da Volta de Jesus, quando então os Portais do Reino de Deus serão finalmente abertos aos mortais, condição antes perdida pelos pecados do primeiro casal.

http://naohaumasoalmanoreinodedeus.blogspot.com.br/

Antes de ser executado pela impiedade humana, Jesus reuniu seus apóstolos, que ali representavam a Humanidade. Tudo o que Jesus  ensinou, todos os seus exemplos de vida, todas as suas parábolas colocadas para melhor entendimento junto aos seus apóstolos visaram também você, eu e toda a Humanidade, pois não fosse assim, se as promessas aos seus apóstolos fossem atribuídas somente a eles, o Evangelho teria se caracterizado apenas como meros livros históricos.

Por isso, essa grande revelação abaixo que se revela como uma GRANDE PROMESSA, foi dirigida também diretamente a você.

Antes da revelação Jesus se identifica com toda a autoridade, pois veio à Terra como o Verbo de Deus, que falava diretamente por Deus Pai:

“Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, credes, também, em mim.
Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu não lhes teria dito. Pois vou preparar-vos um lugar. E quando eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.   Jesus, no Evangelho de João, 14. 1 a 3.

Portanto, o Reino de Deus só será aberto aos mortais no dia em que Jesus voltar. Na Ressurreição dos Mortos, no Julgamento Final!   Ver detalhes completos no meus dois blogs:

.“Respondeu-lhes Jesus: Os sãos não precisam de médico, e sim os doentes. Não vim chamar justos, e sim os pecadores, ao arrependimento”. Lucas, 5.31.

Portanto, o Senhor Jesus não se preocupa muito com os que já são seus, os que têm fé e guardam os seus preceitos, mas se preocupa demais com aqueles que ainda estão doentes, espiritualmente falando. 

Mas Satanás, ao contrário de Jesus, não se preocupa com os que estão perdidos pelas coisas do mundo, pois esses já são seus, por isso, se preocupa demais com os justos de Deus, na tentativa de também corrompê-los.

Para você se salvar, rá começar, pois tem muito mais, como veremos, é preciso ter fé em Jesus Cristo como o nosso Salvador e nas Escrituras como a legítima Palavra de Deus, e crer na Grande Promessa de Jesus Cristo, a todos nós:

“Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, credes, também, em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu não lhes teria dito. Pois vou preparar-vos um lugar. E quando eu for e vos preparar um lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que onde estou, estejais vós, também”.  Jesus, no Evangelho de João, 14. 1.a 3.

Poucas horas antes de seu martírio, Jesus afirma aos seus discípulos que vai subir ao céu, vai preparar um lugar aos seus amigos, que somos nós também, pois tudo o que disse aos apóstolos vale para todos os cristãos. Não fosse assim, o Evangelho teria de ser lido como apenas um livro histórico.

Outra grande promessa:

“Crê no Senhor Jesus, e serão salvos tu e tua família”.  Atos, 16.31.


http://crenosenhorjesuseseraosalvostueosteus.blogspot.com.br/

Para a salvação é necessário fazer-se batizar, pois o batismo é, também, um ato de fé, além de ter de se viver os preceitos de Jesus.

Eis os preceitos de Jesus referentes à Salvação na Eternidade:

Obedeça a Deus Pai na guarda de seus mandamentos (são 10)  João 15:10).

Pratique o amor também aos seus semelhantes, a ponto de servi-lo nas sus necessidades básicas.  Marcos 10:21.

Não ameis somente aos que vos são caros, mas também aos que vos perseguem, aos que vos odeiam...

Amai ao próximo como a ti mesmo...

 Perdoai, setenta vezes sete...

Quando tirarem a vossa túnica, entregueis também a vossa capa...

 Quando vos obrigarem a andar boa distância, andeis o dobro...

Quando vos esbofetearem na face esquerda, ofereçais, também, a direita...

Perdoai e tolerai-vos uns aos outros.

 Bem-aventurados os mansos, os misericordiosos, os pacíficos...

 A estrada que conduz ao céu é estreita e cheia de obstáculos...

Se tiverdes riquezas vendei-as e distribuí tudo a quem mais necessita...
 
Tome a tua cruz e me siga....

Parece fácil, não? Mas não é nada fácil, aliás para os ricos é quase impossível, pois se você for rico, vai ter de vender a maior parte do que tem e distribuir tudo aos necessitados, desfazendo-se do peso da riqueza e dessa forma se aproximando do Senhor, e por consequência da sua Salvação na Eternidade. O Evangelho de Marcos, 10.21.

Não é nada fácil tirar um pouco do que temos para diminuir o sofrimento do nosso semelhante.

Não é nada fácil ser agredido por alguém e não revidar.

Não é nada fácil perdoar incondicionalmente até a alguém que nos prejudicou de modo terrível e ainda orar por ele.

Não é nada fácil dar ao que nos toma, ainda um pouco mais.

Não é nada fácil amar não só aos que nos são caros, mas também aos indesejáveis.

Não é nada fácil perdoar, sempre.

Não é fácil tolerar aos que nos aborrecem.

Não é nada fácil carregar nossa cruz do dia a dia.

Não é nada fácil praticar o verdadeiro cristianismo, o que salva.

POR ISSO,A SALVAÇÃO É DIFÍCIL, mas como o prêmio é completamente inefável, temos de dar tudo o que podemos e o que não podemos para vencer!!


Se ao justo é difícil a Salvação, imagine para o ímpio!

Uma ilha se conhece como sendo um pouco de terra cercado de água por todos os lados. O verdadeiro cristão é como se fosse uma ilha: está isolado; está cercado por todos os lados de ateus, de agnósticos, de místicos, de descrentes, de falsos pastores, de agressores da Palavra Escrita, de pagãos, de ímpios; de religiões estranhas, de cristãos só de nome e de desinteressados por todos os lados.   Também por isso é muito difícil manter-se cristão! Aquele que PERSEVERAR será salvo!

“Considerai, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas, para contigo, a bondade de Deus, se nela permaneceres; doutra sorte, também tu serás cortado”.  Romanos, 11.22.

Não é nada fácil entender e obedecer o Grande Recado de Jesus, em Mateus, 5.17, pois muitos se esquecem de que o primeiro recado de Jesus ao mundo foi a legitimação total de TODOS os Dez Mandamentos da Lei de Deus, quer seja difícil, quer queiram ou não.
Quem tenta desviar-se das claríssimas determinações de Jesus no Grande Serão da Montanha o faz tentando corromper o real decreto de Jesus que não deixa dúvida alguma de que legitimava as Dez Leis de Deus entregues pessoalmente a Moisés, e por consequência a todos nós:

Não penseis que vim revogar a Lei ou os profetas; não vim para revogar, vim para cumprir.” Porque em verdade vos digo: até que o céu e a terra passem, nem um i ou um til jamais passará da Lei, até que tudo se cumpra”.  Mateus, 5.17 e seguintes, que indiscutivelmente revelam que Jesus se referia às Dez Leis.

Mas há fariseus modernos e até hipócritas que têm feito de tudo para corromper essa Verdade Indiscutível de Jesus, com todo tipo de enganação.

Jesus resumiu os Dez Mandamentos em apenas dois, mas sem excluir nenhum deles, mesmo porque, na propagação do cristianismo, citou, por várias vezes, os Mandamentos de seu Pai.

Eis os Dez Mandamentos que formaram a base do cristianismo, pois nada funciona sem leis, dada a inconstância do homem.

Abaixo, a Palavra Escrita revela que antes de subir aos Céus, Jesus deu mandamentos aos seus discípulos e a todos nós. Ora, mandamentos são leis:

“...depois de ter dado Mandamentos por intermédio do Espírito Santo de Deus aos apóstolos que escolhera, foi elevado às alturas”.  Atos dos Apóstolos, 1.2.

AS DEZ LEIS DO SENHOR:

“O Senhor falou conosco face a face, no monte, no meio do fogo”.

1 - “Não terás outros deuses diante de mim.

2 - Não farás para ti imagem de escultura, nem semelhança alguma do que há em cima, nos céus, nem embaixo, na terra, nem nas águas debaixo da Terra. Não as adorarás, nem lhes prestará culto; porque eu, o Senhor, teu Deus, sou o Deus Zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos até a terceira e a quarta geração daqueles que me aborrecem, e faço misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus Mandamentos”. Deuteronômio, Deuteronômio, 5.4 a 9.

3 - “Não tomarás o nome do Senhor, teu Deus, em vão”.

4 - “Lembra-te de santificar o dia do sábado. Trabalharás durante seis dias e farás neles todas as tuas obras. O sétimo dia, portanto, é o sábado do Senhor e não farás nele obra alguma. Porque o Senhor santificou e abençoou o dia de sábado. Não farás nele trabalho algum, nem teus filhos, nem teus servos, nem teus animais. Porque, em seis dias, fez o Senhor os Céus e a terra, o mar e tudo o que há neles e, no sétimo dia descansou, por isso, o Senhor abençoou o dia de sábado e o santificou (foi substituído pelo clero por “guardar os domingos e festas de guarda”.

 5 - “Honrarás teu pai e tua mãe”.

6 -  “Não matarás”.

7 -  “Não cometerás adultério”. (foi substituído pelo clero como “não pecar contra a castidade.

8 - “Não furtarás”.

9 -  “Não dirás falso testemunho”.

10 - “Não cobiçaras a casa de teu próximo nem desejarás a sua mulher, nem coisa alguma que lhe pertença”.  As Escrituras Sagradas, Êxodo, 20. (foi dividido pelo clero como o nono e o décimo Mandamento).

É difícil? Você guarda a todos menos um deles, pois não foi assim que aprendeu?

Vejamos o que o Espírito Santo de Deus revela a respeito daquele Mandamento que você não consegue guardar:

Portanto, qualquer um que tiver observado toda a Lei, mas faltar num só ponto dela, torna-se culpado de todas as outras leis... De fato aquele que disse: “Não cometerás adultério, também disse: Não matarás”.   Se tu, porém, não cometeres adultério, mas matares, é transgressor de toda a Lei, portanto, aquele que disse: “Não matarás”, também disse: “Não adulterarás”.  Epístola de Tiago, 2.10, 8 e 11, mostrando, novamente, o Evangelho do Espírito santo de Deus legitimando, novamente, todos os Mandamentos, inclusive o do sábado, pois está intrínseco, com estão os demais.

Em tudo tem de haver regulamentos, pois mesmo com isso o homem se corrompe, imagine uma religião sem regras de comportamento.

Vejamos agora, um Jesus sempre preocupado com as Leis de Deus:

Jesus respondeu aos fariseus: “Por que transgredis, vós, também, o Mandamento de Deus, por causa da vossa tradição?  Porque Deus ordenou: Honra teu pai e tua mãe”.  Mateus, 15.3.

Enfim, Jesus elegeu o amor de caridade como a maior fonte da salvação. Bem difícil de se praticar, também:

Se alguém ama e serve ao seu semelhante, conforme os céus, será a Deus que estará amando e servindo! Então, benditos sejam esses próximos que nos aproximam de Deus! 

 Se alguém disser:  “Amo a Deus”,  mas odeia a seu irmão é mentiroso. Porque se não ama a seu  irmão que vê, é incapaz de amar a Deus ao que não vê. Advertência do Senhor, em I João,  4.20.

Legitimando a prática da caridade verdadeira como condição básica para a salvação da alma, temos uma das mais belas e produtivas passagens bíblicas pela qual Jesus nos repassa o que o céu quer de nós na Terra. O Senhor Deus nos adverte gravemente para a vital importância da caridade, em suas diversas formas, cujos frutos pesarão, consideravelmente, na balança da Justiça, no dia do Juízo Final.

 “Quando o filho do homem voltar na sua glória, e todos os anjos com ele, sentar-se-á no trono glorioso.  Todas as nações se reunirão diante dele, e ele separará as ovelhas dos cabritos. Colocará as ovelhas à sua direita, e dirá:    “Vinde, benditos de  meu Pai, Tomai posse do reino que vos está preparado desde a criação do mundo, porque:

Tive fome e me destes de comer.
Tive sede e me destes  de beber.
Era peregrino e me acolhestes.
Estive nu e me vestistes.
Estive enfermo e me visitaste.
Estive na prisão e viestes a mim.
Em verdade eu vos declaro:  todas  as  vezes  que  fizestes  isto  a  um  destes  meus  pequeninos, foi a mim que o fizestes”.
Voltar-se-á em seguida para os de sua esquerda (os cabritos) e lhes dirá:
“Retirai-vos de mim malditos,  ide  para o fogo  do inferno, fogo eterno destinado ao demônio e aos  seus anjos, porque

Tive fome, e  não  me destes de comer.
Tive sede, e  não  me destes  de beber.
Era peregrino e  não me acolhestes.
Estive nu e não me vestistes.
Enfermo e na prisão, e não  me visitastes”.  Justiça final  de Jesus, em  Mateus,   25.31 a 44.

Conforme essa revelação cristã, o meu semelhante é a própria emanação de Deus! Além disso, deixa claro que as relações com meus semelhantes se tornarão o fiel da balança de Deus na hora da justiça. Pela clareza dessa revelação não há como atribuir a ela mais de uma interpretação.

Por esses versículos que costumo atribuir a um eficiente resumo dos preceitos Bíblicos, Jesus não dirá:

“Vinde benditos de meu Pai, porque me honrastes nas altíssimas catedrais ou no mais humilde dos templos”. Ou mesmo: Vinde benditos de meu Pai, porque integrastes tal ordem religiosa...”.  Mas Jesus dirá: “Vinde benditos de meu pai, porque trilhastes a estrada estreita demonstrando amor a mim através do amor que dedicastes aos teus semelhantes”.

Eu jamais me cansarei de reler esta mensagem que, na realidade, retrata com majestade a gloriosa volta de Jesus Cristo, na qual não será mais ele quem estará sendo julgado pelos homens como o foi, mas, sim, será ele quem estará julgando os homens que não se importaram com o Grande Sacrifício do Cordeiro de Deus e premiando, regiamente, aos que lhe tiverem sido fiéis. Nessa ocasião, o fim bíblico dos séculos estará se consumando.  Além de tudo isso, essa Mensagem divina retrata uma maravilhosa promessa, na qual promete o reino dos céus aos que, pela fé e pela obediência a Deus, se envolvem  no auxílio aos carentes de todos os tipos de necessidades.  Mais detalhes em meu blog:


Muitas vezes, tentamos fazer o bem ao próximo apenas por alguma coisa, mas o Espírito Santo de Deus deixa bem claro, em Mateus 25, que devemos fazer o bem por alguém e não por coisa alguma.  Espero que os relapsos, os hipócritas, os fariseus, os omissos, os meio cristãos, os enganadores e os ímpios em geral, também tomem conhecimento, a tempo, da grave  acusação, seguida da terrível e irrevogável sentença, no dia do Juízo, que serão feitas aos que estarão sendo rejeitados pela Justiça de Deus:

 “... retirai-vos de mim, malditos.   Ide para o fogo eterno, preparado para o demônio e seus anjos...”. Mateus, 25.41.

É muito fácil colocar o próximo no lugar dele, conforme o nosso julgamento, mas o mais  difícil, recomendado por Jesus, é colocarmo-nos no lugar desse nosso semelhante.   É fácil dizer:  “coitado”  ou até nos emocionarmos (que de caridade nada vale), todavia, quando nos defrontamos com alguém que sofre temos de  tentar  sentir o sofrimento desse, e contribuir, de alguma  forma, para diminuir a sua dor, a sua tribulação física, seja qual for, fazendo por aquele irmão o que desejaríamos que fizessem conosco se estivéssemos naquele estado. Além disso, esse ato abrirá caminho para evangelizá-lo, o que constitui a melhor das caridades. 

Abriram-se livros, e ainda outro livro que é o livro da vida, e  os mortos foram julgados conforme o que estava escrito nesse livro,  segundo as suas obras.     Advertência do Senhor Deus,  no livro do Apocalipse   20:12.




Na verdade,  como já citei, a glorificação dos justos e a condenação dos injustos contidas em  Mateus  25.31 em diante,  tornam-se um prático e eficiente resumo de todos os livros da Bíblia,  pois todos os livros pregam o que mais interessa a Deus: o amor a ele por intermédio do amor dedicado ao próximo.  Quando amamos o nosso semelhante é ao Senhor que dedicamos esse amor, porque ali, em Mateus, 25, ele declara, solenemente que, em relação ao merecimento do céu, é ele mesmo que está na pessoa de cada excluído, em cada necessitado e, em cada um que precise de qualquer tipo de ajuda, não só material, mas também espiritual. Repetindo: subtende-se, então,  que o próximo deve ser considerado como a própria emanação de Deus, e a salvação na eternidade tem de passar pelo amor ao semelhante.

Você age, de alguma forma, em favor de seu semelhante, tanto material como espiritualmente?

“Porque a caridade cobre uma multidão de pecados”.   Comprometimento do Senhor,  na Primeira Carta de Pedro,  4.8.

Waldecy Antonio Simões      walasi@uol.com.br

Todos os meus escritos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados.

Mais blogs com diversos assuntos bíblicos:
















http://ainfalibilidadedospapasewabsurda.blogspot.com.br/






























                                                          













































                            












 Waldecy Antonio Simões. walasi@uol.com.br

Todos os meus textos são livres para publicações, desde que os textos não sejam alterados

Eu sou a voz que clama na Internet.

 “Então, no Reino do Pai, os justos resplandecerão como o Sol”.  Promessa de Jesus, em Mateus, 13.43